Contribuição para o Fundo de Bolsas

Os fundos de bolsas da FGV em São Paulo concedem financiamentos, sem juros (com correção monetária), que permitem ao aluno cursar graduação nas Escolas de Administração de Empresas, Direito e Economia. Criado em 1965, o fundo de bolsas da Escola de Administração de Empresas é o pioneiro na concessão de crédito educativo. Novos fundos de bolsas foram criados com a Escola de Economia de São Paulo e com a Escola de Direito de São Paulo.
Além da bolsa de estudo, que oferece de 20% a 100% de auxílio mensalidade por semestre, surgiram outros subsídios, como: material escolar (para compra de livros), alimentação, transporte, moradia e mérito - este concedido aos primeiros colocados nos vestibulares, que contemplam de 60% a 100% do valor total do curso.
Os recursos do fundo de bolsas são provenientes também de contribuições das empresas parceiras que integram o Clube de Parceiros FGV. Em 2014, 5 empresas fizeram parte da iniciativa:  Bradesco, oferecendo anualmente 11 bolsas de estudos integrais; Itaú BBA, com 01 bolsa por ano;  EY, com o financiamento de 03 bolsas de estudos para o curso de graduação da FGV/EAESP; o Instituto GPA, contribuindo com 10 bolsas para aqueles com necessidades socioeconômicas; e o Itaú Unibanco, com 02 bolsas anuais para alunos de mestrado e 02 para alunos de doutorado na linha de Finanças.
Em 2014, foram concedidas aos solicitantes, 454 bolsas mensalidades e 124 bolsas manutenção somando um total de 578 bolsas para a Escola de Economia foram 55 bolsas e para a Direito SP foram 83.
Outra parte dos recursos do fundo de bolsas da FGV vem da Comunidade FGV, formada por ex-alunos. Anualmente, a EAESP é a Escola que recebe a maior parte dessas colaborações. 
Após um ano de formado, o aluno devolve ao fundo de bolsas o valor que lhe foi financiado, possibilitando, assim, que outros estudantes possam utilizar os recursos disponíveis para a realização de seus estudos. Doe para o Fundo de Bolsas