Ricardo Lacerda, CGAE 1990. Presidente do BR Partners

07/10/2014 

Nesta semana, na eletiva GVniano ensina GVniano, recebemos o GVniano Ricardo Lacerda, CGAE 1990, fundador e presidente do banco BR Partners.

“A melhor decisão foi ter escolhido a GV”.

Ricardo começou contando sobre a sua trajetória desde que se formou na GV. “Escolhi a FGV pelo seu diferencial em relação a outras universidades, o nome é algo muito relevante quando você conclui a faculdade e vai procurar seu primeiro emprego.” 
Com experiência em grandes instituições financeiras, como Chase Bank, Goldman Sachs e Citibank, Ricardo contou como foi ocupar altas posições dentro dessas empresas e o tamanho da responsabilidade que ele tinha. Só depois de alguns anos e de muita experiência que surgiu a vontade e a ideia de empreender. Assim, nasceu o banco BR Partners em 2009, com altas expectativas para o novo negócio que traria mudanças significativas e se transformaria em um banco bastante reconhecido.
Ricardo citou duas áreas de conhecimento importantes para um gestor: matemática - porque você precisa ser bom com números e lógica; e psicologia, para poder lidar da melhor forma possível com as pessoas. 
“Objetividade e transparência na gestão de pessoas são pontos essenciais para qualquer companhia que preze por valores e que queira uma boa reputação.” 
O GVniano também ressaltou a dificuldade de se manter em uma área tão instável, já que depende também da economia e do mercado brasileiro. “Atualmente, existe uma enorme competição ‘do lado de fora’, e é também extremamente importante ter um bom desempenho durante as aulas, e levar a sério - conversar com pessoas experientes”. 
Ricardo comentou sobre a base sólida que teve na Escola, e afirmou: “o nível de ensino da GV não fica devendo nada em comparação a universidades estrangeiras”. Recomendou aos alunos que façam MBA, mas que esperem alguns anos depois de se formarem, e então poderão ver com mais clareza se realmente isso faz diferença no momento em que você está na sua carreira profissional. 
Quando a eletiva estava chegando ao fim, ele também discutiu um pouco sobre política e economia com os GVnianos, e deixou uma mensagem: “Não deixem os outros pensarem por vocês, não se deixem levar pelas opiniões públicas.”